Tangará da Serra/MT, 09 de Dezembro de 2019

Facebook

NOTÍCIAS segunda-feira, 02 de Dezembro de 2019, 12h:55 | - A | + A

VIDA NO TRÂNSITO

Universidade federal realiza pesquisa nacional em Cuiabá durante blitz de Lei Seca

Durante as quatro horas de operação, uma pessoa foi presa por embriaguez, 26 veículos foram removidos, 10 multas foram emitidas por dirigir alcoolizado.

Por: Gazeta FM Tangará com Assessoria

Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT

Operação Vida no Trânsito e Lei Seca, com pesquisadores da UFG realizando pesquisa para avaliar em 14 capitais o uso de álcool e direção, alem da velocidade excessiva

Operação Vida no Trânsito e Lei Seca, com pesquisadores da UFG realizando pesquisa para avaliar em 14 capitais o uso de álcool e direção, alem da velocidade excessiva

A Universidade Federal de Goiás (UFG) começou na quinta-feira (28.11), em Cuiabá, a coleta de dados da pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde para avaliar o efeito do Programa Vida no Trânsito (PVT), que estima a prevalência e fatores associados ao beber e dirigir e velocidade excessiva nos condutores de automóveis ou motocicletas.

 

A pesquisa foi aplicada durante blitz de Lei Seca, na avenida do CPA. A abordagem iniciou às 21h50 e seguiu até às 2 horas.

 

A capital de Mato Grosso é a penúltima a ser avaliada. Ao todo, o estudo vai avaliar o comportamento dos motoristas nas cidades de Palmas, Campo Grande, Curitiba, Teresina, Belo Horizonte, Boa Vista, Florianópolis, São Luís, São Paulo, Macapá, Goiânia, Salvador e Vitória.

 

Durante as quatro horas de operação, foram aplicados 102 testes de alcoolemia, uma pessoa foi presa por embriaguez, 10 foram multadas por dirigir sob efeito de álcool, 3 se recusaram a fazer teste de etilômetro, cinco motoristas foram multados por conduzir veículo sem CNH e 15, por estar dirigindo veículo sem licença. Ao todo, 16 carros e 10 motocicletas foram removidos.

 

(foto: Mayke Toscano/Secom-MT)
 
 

O coordenador da pesquisa, o médico infectologista e pesquisador da UFG, Otaliba Libânio de Morais Neto, coordenou a aplicação dos questionários. Assim que os motoristas eram abordados, os documentos eram checados, enquanto os estudantes aplicaram o questionário para a pesquisa nacional e teste de etilômetro para fins da pesquisa. Em seguida, o condutor faz ou não o teste da Lei Seca.

 

“Na pesquisa avaliamos através das entrevistas e também pelo teste de etilômetro para ver a dosagem de alcoolemia nos condutores de veículo, então ela permite a gente avaliar quais os principais fatores associados aos acidentes de trânsitos, e principalmente, com as mortes e feridos graves causados pelos os acidentes de trânsitos. Avaliamos uso detratores, como de aparelho celular e outros aparelhos que o condutor utiliza e que diminui a atenção, o que pode estar relacionado ao acidente de trânsito”.

 

Conforme o pesquisador, assim como nas demais capitais, em Cuiabá houve apoio das forças de segurança e dos órgãos de trânsito e da área da saúde.

 

“Esses resultados da pesquisa vão possibilitar que o Ministério da Saúde, os órgãos de trânsito do município e dos estados e do Denatran tome ações efetivas para reduzir esses fatores e reduzir o acidente de trânsito”, destacou o médico.

 

Lei Seca

 

Em 2019, foram realizadas 35 operações Lei Seca em Mato Grosso, contemplando os municípios de Cuiabá, Várzea Grande, Cáceres, Rondonópolis e Campo Novo do Parecis. Foram 161 pessoas presas por dirigir bêbadas, 4.363 testes de alcoolemia foram aplicados, 436 CNHs recolhidas, 367 documentos de veículos recolhidos, 854 veículos removidos, 437 pessoas dirigindo embriagadas e 96 se recusaram a fazer teste de bafômetro.

 

(foto: Mayke Toscano/Secom-MT)
 
 
 

O secretário adjunto de Integração Operacional, coronel PM Victor Fortes, diz que neste ano, o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) e a Câmara Temática de Trânsito resolveram intensificar as operações Lei Seca com objetivo de conscientizar e fiscalizar a combinação de uso de bebidas alcoólicas e direção.

 

“A gente também destaca a parceria e a integração de todos os órgãos e instituições que atuam na fiscalização, órgãos municipais, estadual e federal, participação ativa de todas as forças de segurança. O objetivo de todos é comum é preservar a vida e garantir a segurança de todos”.

 

O coordenador de trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Michel Diniz, destaca que o trabalho integrado é fundamental para o sucesso da operação e que todos os órgãos são responsáveis desde a abordagem dos motoristas até à remoção dos veículos.

 

“Somando esforços conseguimos fazer trabalho de orientação, abordagem, aferição, se a pessoa está dirigindo alcoolizada ou não. Conseguimos fazer desde a lavratura do auto até mesmo a remoção veicular. Hoje, a Polícia Militar e a Polícia Civil têm a autonomia para também fazer remoções por meio de convênios. No caso de acidentes de trânsito, a Polícia Civil faz a remoção, nas barreiras da Polícia Militar, ela faz a remoção. Essa operação é importante para redução de acidentes e a sociedade só tem a ganhar com essa fiscalização”.  

 

Participaram da ação o GGI/Sesp, Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), Semob, Serviço de Operações Penitenciárias Especializadas (SOE), Ciosp e Polícia Rodoviária Federal.

IMPRIMIR

COMENTÁRIOS